A CARABINA

A Carabina é uma produtora audiovisual que foi fundada em 20 de setembro de 2007 pelos sócios Carlos Canela e Suzana Markus, embora já produzisse informalmente desde 2000.

 

Possui ampla experiência na realização cinematográfica com mais de trinta projetos audiovisuais realizados (curtas, longas, documentários), como o DOCTV “O Canto da Araponga” e o premiado curta “O Homem da Cabeça de Papelão”, produziu mais de vinte institucionais dentre eles PROJETO DOIS IRMÃOS – Conservação e uso sustentável, CANTANTO COISAS DE AMOR - LIRA SANTO ANTÔNIO - vídeo em comemoração dos 60 anos da Lira Santo Antônio de Campos Altos/MG, HISTÓRIA VIVA – CONJUNTO JARDIM FELICIDADE pela Fundação AVSI, dentre outros.

Finalizou em 2020 o seu primeiro longa-metragem "Atrás dos olhos das meninas sérias", em parceria com a Cia. Pierrot Lunar, baseado no romance de Edmundo de Novaes, "Falar".

Produziu diversos eventos artísticos (teatro, dança, música, exposições, mostras, festivais), tais como FIT – Festival Internacional de Teatro, Palco e Rua de Belo Horizonte, Encontro Sesi de Artes Cênicas de Araxá, Festival Internacional de Coros Corearte Brasil, ECUM -  Encontro Mundial das Artes Cênicas, idealização do Projeto Cineclube Curta Circuito da Associação Curta Minas e diversas OFICINAS de produção audiovisual.

 

Além disso, realizou importantes montagens teatrais, como “Sgroft, Herética ou Ninguém” (2009) e "Subo para esquecer o que de baixo já não consigo ver" (2013/2015). Contando com uma equipe qualificada, também vem criando e executando grandes projetos culturais, sociais e turísticos aliando criatividade, inovação e sustentabilidade, através de um planejamento eficaz e diferenciado.

CARLOS CANELA

Formado em letras pela UFV, pós-graduado em Marketing pela Fundação Machado Sobrinho, diretor e roteirista de peças teatrais, artista plástico, editor, diretor e roteirista de curtas e longas-metragens. Finalizou em 2020 seu primeiro longa-metragem "Atrás dos olhos das meninas sérias", dirigiu os curtas premiados em 35 mm “O Homem da Cabeça de Papelão”, “Dois Lados” e “Bailarina” – melhor curta mineiro em 2002 (II Mostra Curta Minas). Roteirizou e dirigiu também o documentário para TV – “O Canto da Araponga” – projeto selecionado no I DOC TV em Minas Gerais. Realizou mais de vinte curtas-metragens, além de ter participado como assistente de direção e direção de fotografia em diversas outras produções entre filmes de ficção e documentários.

canela xingu.jpg

ARTISTA PLÁSTICO

ESCRITOR